Skip to main content

Meu filho decidiu ser vegetariano. O que fazer?

A adolescência é um período cheio de questionamentos. Por isso, é natural que um deles seja a respeito da alimentação baseada em produtos de origem animal. Se o seu filho decidiu se tornar vegetariano, saiba que isso não é motivo para desespero.

 

Os jovens são bombardeados por informações na escola, em casa e na internet. Na grande maioria das vezes, a questão animal é a que mais impressiona e os leva ao vegetarianismo. Dessa forma, o mais recomendado é abrir sua mente para entender essa filosofia de vida.

 

Por que seu filho decidiu ser vegetariano?

 

Além da causa animal, a saúde do próprio corpo e o aquecimento global também são pontos que fazem parte dos argumentos dos vegetarianos. Um artigo publicado no site da revista Super Interessante, por exemplo, fala sobre seis estudos científicos que comprovam a qualidade de vida de quem segue uma dieta vegetariana.

 

Portanto, dissuadir seu filho não é o caminho mais adequado. Aliás, você sabia que muitas escolas no Estado de São Paulo aderiram ao movimento Segunda Sem Carne? Em 2016, cerca de 210 escolas estaduais já deixavam de servir carne às segundas-feiras para seus alunos. O objetivo da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) é chegar a 3 mil unidades.

 

Existe idade ideal para iniciar a dieta vegetariana?

 

Alguns nutricionistas defendem uma idade mínima para iniciar a dieta vegetariana. Mas de acordo com a Sociedade Americana de Pediatria, as crianças podem se tornar qualquer um dos três tipos de vegetarianos, desde que recebam um acompanhamento nutricional adequado. São eles:

 

  • Ovolactovegetarianos: não comem carne, mas consomem ovos e leite.
  • Lactovegetarianos: não comem carne nem ovos, mas consomem leite.
  • Vegetarianos estritos: não comem carne, ovos e nem leite.

 

Outro fator importante para definir a idade ideal é entender se a família está preparada. Ou seja, é importante que todos possam se organizar para oferecer uma dieta que atenda às necessidades nutricionais da criança ou do adolescente.

 

De acordo com o coordenador do Departamento de Medicina e Nutrição da SVB, Eric Slywitch, há a necessidade de complementação da vitamina B12, inclusive para os ovolactovegetarianos. Essa é a única ressalva em relação a uma dieta não vegetariana, pois o restante dos nutrientes podem ser obtidos de fontes vegetais na quantidade certa.

 

O que cozinhar para seu filho vegetariano?

 

O mercado de alimentação saudável no Brasil tem crescido ano após ano, acompanhando a mudança de hábito dos consumidores. Por isso, fique tranquila, pois comprar alimentos de origem vegetal para o seu filho não vai ser um problema.

 

Na VegaSite, por exemplo, há mais de 20 categorias de produtos disponíveis, com lanches, molhos, proteínas vegetais prontas, snacks saudáveis, sucos, leites e outros laticínios vegetais, marmita congelada, embutidos etc. São várias opções que agradam tanto às crianças e aos adolescentes quanto aos adultos.

 

3 dicas rápidas para o almoço vegetariano do seu filho

 

Como toda mãe se preocupa com a alimentação diária de seus pequenos, é preciso ir além e levar para a cozinha algumas dicas vegetarianas. Para te ajudar a melhorar a qualidade nutricional dos pratos do seu filho, separamos alguns truques interessantes:

 

  1. Capriche no tempero das saladas: além dos costumeiros azeite extravirgem e limão, você pode acrescentar óleos de linhaça, de macadâmia e de gergelim. A salada também pode ter pedacinhos de castanhas do pará e de caju, amêndoas e nozes.

 

  1. Legumes não podem faltar: ofereça as mais diversas leguminosas, apresentando cada dia da semana uma opção diferente. Não se esqueça de variar as fontes de proteína com grão-de-bico, soja, lentilha, ervilha e feijão, por exemplo.

 

Detalhe: preparados no vapor, os legumes preservam mais as vitaminas e os minerais.

 

  1. Preparos incrementados: desde um simples suco até tortas, pães caseiros e sopas, tudo pode receber elementos com alto valor nutricional, como a semente de linhaça.

 

Portanto, lembre-se que a decisão do seu filho de se tornar vegetariano pode e deve ser respeitada. Porém, é preciso buscar ajuda para que o cardápio da família seja redesenhado. A orientação nutricional é fundamental para um desenvolvimento saudável!

 

Gostou das nossas dicas e informações? Compartilhe conosco a sua dúvida sobre o vegetarianismo por meio dos comentários. Ela pode ser tema do nosso próximo texto!

Como equilibrar o consumo de soja na dieta vegana?

Por reunir um alto valor nutricional, a soja é muito utilizada na dieta vegana em todo o mundo. O grão tem alta produtividade aqui no Brasil e uma versatilidade incrível na produção de diversos tipos de alimentos. Porém, não podemos nos esquecer dos cuidados necessários na hora de incluí-lo na alimentação diária.

 

Rica em vitaminas, a soja é formada por proteínas, carboidratos e lipídios. Há quase dez anos, o consumo da proteína de soja no país era de apenas três gramas por pessoa, enquanto a recomendação da FDA (Food and Drugs Administration), dos EUA, é a ingestão de 25 gramas por dia para prevenir doenças do coração.

 

Como equilibrar o consumo desse grão?

 

Para a OMS (Organização Mundial da Saúde), a soja é o único alimento vegetal com valor biológico equivalente à carne. Por isso, quem mantém uma dieta vegana consome esse grão em maior quantidade que o restante das pessoas. Mas para tudo existe um limite, certo?

 

Uma das principais recomendações é para que a soja não seja a única fonte de proteína. Ou seja, é necessário comer outros tipos como a lentilha, grão-de-bico e feijão, por exemplo.

 

Apesar de conter muitas vitaminas, como a A, C, D, E e várias do complexo B, o grão não tem a vitamina B12 e alguns minerais. Portanto, esses componentes importantes para o funcionamento do nosso organismo devem ser repostos de outra maneira.

 

Ele pode trazer prejuízos à saúde?

 

Uma dieta vegana com consumo desregrado de soja pode trazer prejuízos à saúde sim. Aliás, tudo o que comemos em excesso pode causar danos no futuro. As desvantagens neste caso estão na alimentação exclusiva com soja, seja em grãos, farinha ou produtos industrializados.

 

Quando ela é consumida in natura, sem fermentação, apresenta fatores antinutricionais. Isso significa que a ingestão do grão atrapalha a absorção de nutrientes pelo organismo. Já os alimentos  que são fermentados não têm esse problema, como o missô e o shoyu.

 

Quais são os reais benefícios da soja na dieta vegana?

 

Com tantos benefícios encontrados pelos veganos na soja, seu consumo se torna indissociável da alimentação. Justamente por ser o melhor substituto da carne (em termos nutricionais), o grão é utilizado de maneira versátil na produção de alimentos veganos.

 

Tanto é que foi criada uma proteína texturizada, a proteína de soja, que pode ser utilizada em substituição à carne moída, por exemplo. Ótima para fazer recheios, molhos para macarronada, hambúrguer, almôndegas etc.

 

Mas a fabricação de alimentos com selo vegano vai além disso. Tanto é que hoje é possível encontrar até em lojas online opções como lasanha, tofu, churrasco e salgadinhos feitos à base de soja, como coxinha, quibe e croquete.

 

Quem vive o veganismo precisa sempre colocar na balança os benefícios e os prejuízos da utilização desse grão. Buscar informações de qualidade e orientação nutricional é essencial para manter a saúde em dia e não fazer substituições erradas.

 

O que achou do texto? Compartilhe o conteúdo nas redes sociais para que seus amigos também entendem como balancear o consumo de soja na dieta vegana.