Skip to main content

Veganismo abolicionista: entenda o significado desse termo

Um termo bem recente tem ganhado atenção de pessoas ligadas à questão vegana na internet: dados do Google Trends mostram que a busca por veganismo abolicionista cresceu nos últimos anos.

No geral, diversos termos relacionados ao veganismo têm sido mais procurados e aparecem com frequência em listas de redes sociais, como o Trend Topics do Twitter, além dos buscadores como Google, Bing e Yahoo. Isso demonstra que o estilo de vida que não incentiva a crueldade aos animais têm chamado a atenção da sociedade.

Entre os termos mais curiosos, o veganismo abolicionista aparece como um dos últimos interesses das pessoas. Por isso, preparamos este texto para explicar a que se refere esse novo movimento. Siga em frente!

O que é o veganismo abolicionista?

O abolicionismo em relação a animais prega a necessidade de abolir toda e qualquer situação de escravidão, discriminação, exploração, tortura, confinamento e matança de seres sencientes, ou seja, os seres vivos que têm sensações e sentimentos de forma consciente.

O veganismo, para o abolicionista, é a base moral da sua posição. O ativismo deve rejeitar a violência contra qualquer animal e não aceita que humanos tomem por posse outras espécies, ou seja, que vacas, porcos, galinhas e a infinidade de espécies que são exploradas diariamente sirvam de recursos para a sociedade humana.

Recusa ao bem-estar animal

Pode parecer estranho, mas o abolicionista vegano recusa o que chamamos de reformas bem-estaristas. Essas políticas pregam melhores condições de vida para os animais e tem por objetivo abolir a tortura e o sofrimento dos bichos no confinamento.

Entretanto, a posse e a matança continuam. A ética abolicionista vê nisso apenas uma maneira de perpetuar o paradigma de exploração e se torna extremamente contraproducente no que diz respeito ao objetivo final do veganismo, que é a libertação animal.

“Não queremos jaulas maiores, queremos jaulas vazias” – um mantra abolicionista que demonstra o fundamentalismo da proposta: ou tudo ou nada.

Corrente pragmática

A corrente abolicionista pragmática é uma linha que surge para questionar os abolicionistas fundamentalistas. Quem faz parte dessa corrente afirma que a aplicabilidade do abolicionismo total é muito distante da realidade e que é necessário se atentar ao contexto político e histórico que o veganismo enfrenta.

Um dos pontos divergentes, por exemplo, diz respeito às práticas de bem-estarismo. Os pragmáticos acreditam que as reformas podem ajudar a eliminar a exploração de forma gradativa, pois permite a negociação e a progressão até o estabelecimento de uma mentalidade e valores morais que deixam de enxergar os bichos como recursos para o consumo humano.

Mas não se engane: os ativistas pragmáticos não abrem mão do veganismo. Eles apenas se propõem a negociar para que o mínimo em prol do causa animal seja feito e defendem uma transição, mesmo que lenta, efetiva.

Abolicionistas interseccionais

Os abolicionistas interseccionais deixam claro que o ser humano, como animal, também deve ser liberto e o vegano, por isso, deve combater todas as opressões, independentemente da espécie. Portanto, abraçar a violência contra seres humanos, mesmo que exploradores de animais, vai contra a ética interseccional.

A libertação animal é também a libertação humana, pois estes também sofrem as mais diversas opressões (de classe, origem, étnica etc.). Veganos Interseccionais afirmam ser necessária a ponderação dos discursos, pois eles também podem ser uma forma de opressão – nesse caso, contra seres humanos.

Como vimos, existem diversas maneiras de enxergar e viver a causa animal. O veganismo abolicionista é mais uma delas e seus ativistas lutam para conscientizar pessoas e libertar animais da exploração e da matança para consumo humano. É impossível tratar de todas as vertentes em apenas um texto, por isso vamos tratar sobre outros movimentos em posts futuros. Não perca!

Se você quer receber conteúdos como este em sua caixa de entrada, não deixe de assinar a nossa newsletter! Conheça também a nossa loja virtual recheada de produtos voltados ao público vegano.

Foto de capa: Benjamin Bousquet on Unsplash